A Voz e a Técnica

A voz e a Técnica Alexander

A Técnica Alexander nasceu de um problema vocal. Frederick Matthias Alexander (1869-1955) era ator e apaixonado por Shakespeare. No auge de sua carreira, F.M. Alexander 'desenvolveu' uma laringite crônica, a qual os médicos não conseguiram encontrar nem a causa e nem a cura.


A rouquidão estava a ponto de acabar com a carreira do jovem ator, por sorte ele não se deu por vencido e começou uma longa jornada de investigações e auto-observação. Primeiramente usando sua voz de cena em frente a 3 espelhos, F. M. Alexander observou que tinha o hábito de puxar a cabeça para trás a cada vez que inspirava, mais tarde ele pode observar que esse hábito se pronunciava não só quando usava sua voz de palco, mas também quando usava a voz no seu dia-a-dia.


Ele então decidiu que não iria mais puxar a cabeça para trás durante a inspiração, mas que iria 'posicionar' a cabeça de outra maneira durante a inspiração, e percebeu que na verdade estava fazendo o mesmo erro, só que de outra maneira. Assim Alexander decidiu dar-se o estímulo de usar a voz, mas ao invés de reagir ao estímulo ele passou a observar as reações que tais estímulos provocavam em seu corpo. Esse foi o começo de sua Técnica.


A Técnica Alexander na verdade vai muito mais além do que um 'mero' trabalho vocal, é na verdade uma filosofia de vida. Ela nos proporciona a consciência para escutar os sinais que o corpo nos envia, e o espaço para que o corpo funcione da melhor maneira possível, livremente, sem esforços nem tensões desnecessárias. 

Hoje a Técnica Alexander é usada não só nas artes cênicas, mas em todas as áreas, por pessoas que desejam obter uma melhor postura, uma respiração natural e querem livrar-se de dores e tensões musculares desnecessárias.


Apesar de tudo, para mim a Técnica Alexander também se trata de um trabalho vocal, afinal esse foi o ponto de partida de F. M. Alexander para suas descobertas e o desenvolvimento de sua Técnica.


Trabalhando com a Técnica Alexander nos damos conta de que todo o corpo, com todas as suas partes, formam a nossa voz. Desde a sola dos pés até o topo da cabeça. Braços, pernas, joelhos, dedos, até mesmo o uso dos olhos fazem uma grande diferença no som, ressonância e potência da voz.


O trabalho prático se torna fácil, energizante e divertido, das notas mais graves até as mais agudas. Também a respiração retorna a ser uma função que lhe cabe ao corpo, este se encarrega de toda a tarefa, por si só.